segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Solidão


Eu sempre comento que precisamos aprender a ter momentos de solitude, momentos à sós para refletirmos, para curtirmos a nós mesmos. Mas e quando a solidão não é uma escolha? E quando, pelo contrário, é uma condição e nos sentimos não apenas sozinhos, mas abandonados?



No filme "Harry e Sally, Feitos um para o outro", Harry diz certa vez para Sally uma frase que nunca me esqueci

“quando estamos sozinhos,
a multidão à nossa volta,
não passa de estátuas
e seus rostos
uma galeria de imagens”



Às vezes a solidão nos pega de surpresa, e quando isso acontece o que podemos fazer? 

Me lembrei então de um e-mail, ops, carta,  que o apóstolo Paulo mandou para o seu amigo Timóteo. Paulo comenta na carta que estava sozinho, e que muita gente o havia abandonado e não apareceram nem mesmo para o defender no seu julgamento, tanto que estava preso em Roma, num calabouço frio, úmido e sem luz.

Nesses momentos de solidão, é importante procurar por amigos e é isso que Paulo faz, ele escreve para Timóteo, fala de outros amigos de quem ele tem saudades e pede a Timóteo para vir logo ao seu encontro! Mas Paulo vai além, em certo momento dessa carta, Paulo comenta que, mesmo com todas as dificuldades o Senhor (Jesus Cristo) permaneceu ao seu lado e lhe deu forças.

A solidão também me pega de surpresa e a minha receita tem sido esta, a mesma de Paulo, eu procuro pelos meus amigos, não me permito ficar sozinho, mas principalmente compartilho e busco a presença de Jesus Cristo na minha vida, que sempre me dá forças para atravessar os momentos de solidão.


Como diria os compositores Carlos Colla e Chico Roque na voz da Sandra de Sá


Solidão,
dá um tempo e vá saindo,
de repente eu tô sentindo,
que você vai se dar mal.


@SandroValerius


(Você poderá ler a história de Paulo na segunda carta de Paulo a Timóteo, no início do primeiro capitulo e no quarto capítulo)

2 comentários:

Luciana Rodrigues disse...

Sandro seu texto é muito lindo (porque me identifico profundamente com ele) e muito verdadeito (porque sinto-me assim na maior parte do tempo)

É importante sim, termos um tempo nosso, pra nos curtir, mas assiti "Harry e Sally" mais de três vezes, e chorei em pelo menos uma delas, como esse filme é atual! E a frase correta em qualquer tempo, em qualquer cultura!

Ontem eu ouvi algumas pregações justamente sobre a Carta de Paulo aos Filipenses - a carta da alegria - e fiquei aqui pensando sobre seu sofrimento emocional pela solidão...

Quando estou numa crise, gosto de pensar que posso suportar a carga,porque tudo coopera pro meu bem, isso me anima e alivia, não é por acaso que meu blog se chama Tende ânimo... ele nasceu num dos meus momentos de solidão, sabia?

Parabéns por seu insight ao escrever sobre isso, aliás gosto de tudo que vc escreve e de como vc escreve (vou parar de repetir isso, prometo)

Beijos, paz e bem =)

Nele que não nos desampara nunca!

Sandro Valérius disse...

Obrigado Lu!

Seus comentários sempre me animam a escrever ainda mais!
Bjs