sexta-feira, 8 de abril de 2011

Atalhos

A frase que mais ouço em filmes é “eu conheço um atalho”, ela sempre está relacionada àquela situação trágica em que não há tempo para o curso natural, tudo irá se perder, o mocinho vai morrer, o galpão cheio de vítimas indefesas vai explodir, o beijo não vai acontecer, e num passe de mágica...  o atalho resolveu.

Pelo menos em Hollywood resolve, porque se for um filme do Monty Python, ou do Mel Brucks, o atalho piora as coisas, tudo da errado, a explosão acontece e o mocinho morre, e de maneira cômica.


Na vida da gente é muito comum pegarmos atalhos, pois ninguém gosta de esperar para chegar a lugar algum ou esperar para ter uma solução, mas os resultados sempre se parecem mais com os finais cômicos do Mel Brucks do que com as incríveis e mágicas soluções de Hollywood!

Na história do povo judeu, quando eles saem do Egito rumo a terra prometida, eles tem um caminho menor para percorrer, um atalho, mas Deus faz eles darem uma volta maior.

Será que Deus não conhecia o atalho? Vai ver seu GPS não estava atualizado?

A verdade é que Deus tinha um plano maior, pois ele conhecia o coração do povo, então ele disse “eu fiz o povo caminhar um pouco mais, porque não queria que eles desistissem na primeira dificuldade”, pois havia uma guerra acontecendo naquele atalho.(*)


Às vezes os atalhos nos levam ao destino de forma mais rápida, outras vezes simplesmente nos perdemos e no fim das contas, o caminho se torna mais longo ainda. Seja qual for o objetivo, seja uma relação amorosa, a conclusão de um curso, a leitura de um bom livro, a educação dos seus filhos.


Desconfie dos atalhos,  os caminhos mais longos também podem ser os mais seguros.

Pergunte àquele que conhece todos os caminhos, Deus saberá guiar o seu coração pelo melhor caminho, mesmo que ele pareça o mais demorado.


@SandroValerius

(*) Para saber mais sobre essa história, leia o livro de Êxodo 13.17