terça-feira, 13 de setembro de 2011

As histórias de amor


Vivemos num mundo inundado por histórias de amor! Filmes, novelas, livros, canções e até desenhos animados! Dramatizações que nos levam, rapidamente, do riso às lágrimas... 

Seria tudo muito lindo se a grande maioria delas não fossem histórias mentirosas. Estas não são histórias de amor coisa nenhuma, mas relatos de luxúria, de fantasia sexual e de superioridade. Desde o berço, somos nutridos com mentiras a respeito do amor... ou vai dizer que você nunca ouviu uma história dramática, mas que terminava em “viveram felizes para sempre”?

Já seria ruim o bastante se elas complicassem apenas os relacionamentos humanos – homem e mulher, pais e filhos, amigos -, mas prejudicam também os relacionamentos com Deus.

A realidade de nossa existência é que Deus é amor e que ele ama o mundo. Cada simples detalhe do mundo real que descobrimos todos os dias está permeado neste amor. Cada respiração nossa, é pelo amor dEle!

Mas, quando nossa mente é atraída com mentiras a respeito do amor, temos grande dificuldade em entender esse elemento básico da vida diária – o “amor”, como verbo ou substantivo. Então, quando escutamos a expressão “Deus é amor”, ela vem vestida de príncipes encantados e fadas que fazem tudo dar certo sem o menor esforço, o que encobre e deforma a verdade acerca do mundo... paramos no caminho... não conseguimos ir muito longe na tentativa de viver bem, e tudo passa a ser decepção, desgraça e depressão...

Precisamos de verdadeiras histórias de amor, se quisermos viver de fato! E, as mais verdadeiras e puras histórias, estão na Bíblia!
Lá descobrimos um Pai que de tanto amar àqueles que o desprezariam, entregou seu próprio filho para que todos tivessem a oportunidade de receber a vida! (João 3.16)

Encontraremos a história desse Filho, Jesus Cristo, que não desprezou ninguém, por pior que fosse sua condição... que sentia prazer em ajudar os desprezados...

A cada página descobrimos um detalhe a mais, de um Deus que no ama exatamente dessa forma: Vai atrás de nós quando estamos na pior situação fica atrás de nós até nos conquistar e faz com que homens e mulheres que não sabem nada sobre o amor, passem a viver o amor!

Se captarmos as palavras que fluem deste livro, conheceremos muito melhor a Deus e já teremos dado passos valiosos em direção à cura de todas as nossas distorções sentimentalizadas e neuróticas de amor, que nos impedem de interagir com o Deus que nos ama e de amar o próximo que não nos ama...


Veja outros posts da Patrícia Carboni no blog "Caminhantes de Plantão"

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Esqueça o preço



Minha filha adora essa música, fica tocando e tocando e ela pede para ouvir de novo! Já viu o vídeo umas trezentas vezes e tive que gravar em DVD pra ela mesma poder ver quando quiser. A música realmente é cativante, ela não sai da cabeça! Mas depois de acompanhar a sua letra outra coisa não me saiu da cabeça... “ela tem toda a razão”!

Sim... a Jessie J. tem toda razão...


Não se trata de grana, esqueça a etiqueta de preço, vamos fazer o mundo dançar, ou seja, vamos fazer diferença nessa bola gigantesca que chamamos de Planeta Terra!


Ela não pensou nisso sozinha, há mais de dois mil anos atrás Jesus estava conversando com seus amigos e contou uma história.


Era sobre um administrador rural, que também era o chefe responsável por uma vinha (plantação de uvas para produção de vinho) e estava precisando de pessoas para ajudar!

O chefe passou bem cedinho numa praça onde alguns desempregados se reúnem para conseguir algum bico. Então ele desceu da caminhonete e disse “ei... se quiserem fazer um serviço sobe ai na caçamba, eu pago R$ 50,00 pelo dia de trabalho de vocês”. Uma turma subiu na caminhonete e lá se foram para a vinha. 
Mas teve outras vezes que o chefe passou pela praça durante aquele dia, e sempre que encontrava homens desocupados, os convidava para trabalhar na vinha!
No final do expediente o chefe chamou seu encarregado e disse, “chama a peãozada pra gente pagar o dia de trabalho deles” e começando pelos últimos contratados, pagou R$ 50,00 a cada um. Aqueles que chegaram cedo já pensaram “oba, se os caras trabalharam só uma horinha ganharam isso, vamos ganhar mais”. Mas não foi isso o que aconteceu, quando chegou a vez deles, receberam os mesmos R$ 50,00. 
Depois de ouvir muita reclamação o chefe disse “ei, eu combinei que ia pagar R$ 50,00 não foi? Se quero pagar o mesmo pra quem trabalhou pouco, não sou eu quem estou pagando? Não posso fazer como quiser com a minha grana?”.


Você também ficaria indignado não é mesmo?
Mas pense do ponto de vista de Jesus Cristo, todos tem o mesmo preço para ele!


Existem pessoas que acham que são mais especiais por terem um canudo, outros um carro, outros por frequentarem uma igreja e outros por nunca terem tido nada na vida. Mas a verdade é que para Deus, ninguém tem etiqueta de preço, todos são igualmente queridos para ele. 


Gosto de mais da frase do Philip Yancey que diz “não há nada que possamos fazer para Deus nos amar mais. Não há nada que possamos fazer para Deus nos amar menos” (Philip Yancey, Maravilhosa Graça, p. 71)

Mas que diferença esse conto de Jesus pode fazer na minha e na sua vida?


Esqueça a o preço!


Olhe para as pessoas à sua volta, e sempre que tiver a oportunidade de se relacionar, fazer uma amizade, ter uma boa companhia para um café, ou para o seu trabalho diário, lembre-se de quem realmente são para Deus.


Todos são igualmente amados e importantes para Deus.


Se Deus olha assim para cada um de nós, porque deveríamos olhar para as pessoas de forma diferente?



Raça, credo, cor, opção sexual, famílias nucleares, mosaicas, destruídas, recuperadas, drogados, ex-drogados, roqueiros, funkeiros, pagodeiros, corinthianos, seja a diferença que você possa encontrar... não importa, esqueça o preço, não olhe o a etiqueta, Deus não olha!


@SandroValerius
Leia mais sobre esse conto de Jesus no evangelho de Matheus capítulo 20